top of page
  • Foto do escritorJonas Silva

Pucará de Tilcara

Atualizado: 20 de dez. de 2023

Pucará de Tilcara é uma ruína de uma cidade pré-colombiana erguida por um povo originário dos andes. Por sua localização e as habilidade cultivadas pelo povo ao longo dos anos foi estratégica para muito do que aconteceu na parte central da cordilheira. Tanto o povo Inca que desceu dos Andes peruanos quanto os espanhóis vindos do Prata se valeram do povo originário.

O parque está localizado na pequena e pitoresca cidade de Tilcara parte da província de Jujuy, às margens da RN 9 na região da Quebrada de Humahuaca. Cercada por montanhas e vales, está as margens do Rio Grande que dá vida ao árido ecossistema da Quebrada.

Uma cidade pitoresca em meio as montanhas áridas do norte da argentina na Cordilheira dos Andes, na América do Sul. O pueblo de Tilcara visto das ruínas de Pucará de Tilcara.
Vista de Pucará de Ticara para a cidadela de Tilcara

História de Pucará de Tilcara

O Monumento Nacional Pucará de Tilcara é uma antiga fortificação erguida pelo povo Huarpa, uma das várias culturas pré-colombianas da região dos Andes.

Vista aérea da ruína pré-colombiana de Pucará de Tilcara localizada na Quebrada de Humahuaca, na Província de Jujuy, na Argentina, cravada na Cordilheira dos Andes.
Vista aérea das ruínas de Pucará de Tilcara

Os Huarpa eram conhecidos pela habilidade em construir fortificações e em liderar guerras. Além disso, eles tinham uma cultura rica, com religião, arte e tradições próprias. Sua capacidade e conhecimentos de cultivo e criação foram objeto de desejo e exploração pelos Incas que desceram a cordilheira, também serviram aos espanhóis nas incursões sobre as terras altas da Puna.

Pucará de Tilcara é uma prova dessa habilidade arquitetônica e militar dos Huarpa. Trata-se de uma fortificação sobre uma colina central da Quebrada de Humahuaca, estrategicamente posicionada dava o privilégio de reconhecer inimigos se aproximando e ao mesmo tempo aproveitar a água do Rio Grande ali nas proximidades. Ademais, as encostas do outro lado do vale serviam de terraços para o cultivo e ficam sob vigília do povo e provavelmente de um líder dominante.

Segundo alguns historiadores a localização privilegiada e a capacidade de se articular dos Huarpa foi importante para sua sobrevivência em aliança com os Incas. Estes, uma vez na Quebrada eram impiedosos com os povos que não aceitavam alianças, fato que pode ser visto em ruínas recém descobertas na região que indicam uma destruição total com aniquilação da população.

Os historiadores também atribuem a supressão do povo à aliança com os espanhóis que, ao chegarem na Quebrada se colocaram, e de fato foram, parceiros na libertação contra os Incas, entretanto a aliança com espanhóis trouxe consequências tão graves aos Huarpa quanto a submissão aos Incas. Esses são fatos históricos narrados pelo guia que nos acompanhou às ruínas.

A presença dos espanhóis pode ser vista até hoje em muitos dos hábitos culturais que os "tilcara" cultivam. As igrejas cristãs são ávido exemplo disto.

Muros e paredes de pedras e adobe da ruína pré-colombiana de Pucará de Tilcara localizada na Quebrada de Humahuaca, na Província de Jujuy, na Argentina, cravada na Cordilheira dos Andes.
Paredes da construções de Pucará de Tilcara

As ruínas abertas à visitação são originais, ainda que parte delas precisou ser reerguida, devido a ação do tempo, o estilo construtivo assim como os materiais utilizados são os mesmos das construções originais: pedras encaixadas combinadas com barro, cardón e palha nos telhados. Esse material garantia, e ainda garante excelente controle da temperatura interna, muito importante em uma região de alta amplitude térmica e escassas chuvas.

No entorno das ruínas expostas podemos ver resquícios ainda cobertos pela ação do tempo. Há também muitos cardóns, segundo o guia, são resultado dos hábitos dos habitantes que comiam o fruto da cactácea.

Na parte mais alta da colina há uma pirâmide geralmente confundida com a construção original. No entanto, ela foi construída como "homenagem" à memória do povo huarpa que havia sido considerado extinto. Recentemente o povo conseguiu uma decisão de reconhecimento pela não extinção, já que muitos dos descendentes ainda habitam o entorno. A pirâmide não foi removida como uma memória do história

É muito gratificante ver como o povo entende o fluxo da história e seu papel nele, mantendo inclusive uma parte "fictícia", contada, mas que faz parte do seu tempo.

Na parte baixa de Pucará de Tilcara é possível conhecer alguns animais que eram domesticados pelos povos originários e são utilizados até hoje, assim como várias espécies da botânica da região e a forma como era realizado o cultivo em uma região árida utilizando apenas os recursos do local.

Pucará é hoje um parque de acesso controlado, porém a taxa cobrada é muito pequena - em 2022 foi o equivalente a R$8 por pessoa - e ainda dá direito a acompanhamento do guia - altamente recomendo - que sai com grupos a cada hora e meia.

Visitamos a ruína de Pucará de Tilcara durante nossa Road Trip pela Puna do norte da Argentina em dezembro de 2022. Durante a viagem passamos por vários lugares emblemáticos do norte argentino, com destaque para a Quebrada de Humahuaca.


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page