top of page
  • Foto do escritorBruna Cardoso

Descobrindo o Planalto Paranaense -Mamborê e Nova Cantú

Atualizado: 23 de mar. de 2022

Estávamos se preparando para mais uma expedição rumo à nascente do Rio Ivaí, quando surgiu a ideia de explorarmos mais o centro do Planalto Paranaense. Na verdade temos um projeto de traçar um caminho nessa região, uma travessia onde passará por vários municípios do Estado.

Convidamos mais dois amigos para essa aventura, que toparam de pronto. Saímos de casa num sábado de Julho, eram umas 07:30 aproximadamente, rumo as estradas de chão que ligam os municípios de Campo Mourão a Mamborê. As maravilhas da natureza já iniciaram no caminho, onde nos deparamos com várias espécies de pássaros, alguns muito difíceis de se ver por essas bandas, como, Pica-pau, Tucano e outros que não conseguimos identificar.

Mas o mais grandioso da viagem foram as Corujas. Vimos várias delas pelo caminho. Sempre gostamos de nomear nossas aventuras com algo que tenha nos marcado durante a aventura, com certeza não poderíamos ter nome melhor para essa: "Expedição Buraco de Coruja".

Após algumas horas na estrada, chegamos a primeira cachoeira do nosso script. A majestosa e imponente "Cachoeira da Clauri" em Mamborê. Uma queda de aproximadamente 35m de altura. Ao chegar próximo a ela já conseguimos ver sua beleza. Neste dia ela estava com um volume bom de água, deixando a queda ainda mais interessante. Ela desce e desliza sobre pedras escorregadias, seguindo então por um pequeno riacho mata adentro.

Mas como gostamos de aventura, o Jonas que tem mais habilidades e curiosidade, seguiu a cachoeira pelo lado que chegamos subindo até o seu topo.

Em conversa com moradores da região descobrimos que algumas ruínas que se encontram as margens do rio, pertenciam a uma Fábrica de Celulose, isso muitos anos atrás. Achamos um registro muito legal em uma das paredes, que data, o que imaginamos ser a Inauguração da obra em 26-11-1958.

Após contemplarmos as belezas desse lugar e de muitas fotos para nossas lembranças, seguimos nosso roteiro até o próximo destino. Chegamos até o centro da cidade de Mamborê, onde paramos para ver a Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição e logo continuamos mais uns 18 Km rumo a Igreja Subterrânea Sagrado Coração de Jesus na comunidade do Gavião. A área interna da igreja fica abaixo do nível da rua, com paredes revestidas por rochas e nas laterais partes com vidros, deixando assim o ambiente bem iluminado. Um lugar mágico e cheio de mistérios, vale a pena passar para conferir.

Aproveitamos essa parada para fazer nosso lanchinho, pois já era no horário do almoço, nota-se que não escolhemos qualquer paisagem para lanchar. Após um breve descanso, avançamos mais um pouco para encontrar mais aventuras. No caminho nos deparamos com uma antiga construção, o Jonas como já descrevi acima, muito curioso pelas histórias que envolvem esses lugares, desceu e conferiu o que seria uma escola, uma igreja e um barracão. A igreja ainda está inteira, mas pelo que vimos, não há mais sinais de missas no local.

Foi aí também aí que ele fotografou essa linda flor, a Açucena, que na tradição popular sempre foi relacionada como um símbolo de "pureza". Por este motivo, "a pura" pode ser um dos significados atribuídos à Açucena.

Após mais um trecho de estrada, seguimos pelo interior de Mâmbore sentido Nova Cantú. Uma estrada de terra mas em boas condições.

Chegamos até uma sede de o que parecia ser uma fazenda, já na PR 462, mas com acesso livre, descemos um pouco e logo avistamos um rio com água azul cristalina, bem diferente dos rios que acostumamos ver. Agora restava descobrir uma trilha para achar a Cachoeira. Após encontrar uma trilha meio selvagem ainda, kkkkk, onde indicava poucas visitas naquele local. Enfrentamos uma vegetação baixa com espinhos entre as árvores e um percurso por dentro do rio, começamos a ouvir o som que mais gostamos... o da queda d'água. E fomos presenteados com mais uma bela cachoeira.

Seguimos de volta a PR 462, onde mais acima entramos na estrada que vai para o Distrito Santo Rei. Já se aproximava do final da tarde quando chegamos no canto de um pasto marcado no mapa de navegação. Descemos pelo pasto e adentramos numa trilha bem batida, atravessamos um rio e continuamos por ele por alguns metros para chegar na até então, última cachoeira do dia.

Ela tinha uma extensão (largura) maior do que a da foto, na verdade o dobro do que aparece no registro. Mas como já estávamos quase sem bateria nos equipamentos, deu para registrar poucas imagens.

Estávamos admirando a vista, já um pouco cansados, quando de repente os rapazes foram subir na parte superior da cachoeira para ver a vista e tirar algumas fotos, quando ouviram um ruído, bem maior do que o da cachoeira em que estávamos.

Foi então que resolveram caminhar mais alguns metros e se depararam com um panorama inacreditável. Por isso o comentário acima, onde me referi que seria a última cachoeira do dia. Fomos presenteados com mais uma queda de aproximadamente 15m. Foi surreal, ficamos super animados e todos nós subimos o mais perto possível dela.

Enfim, mais uma aventura concluída com sucesso.


Agradecimento

A essa galera da foto por tornar essa aventura possível e mais divertida.

Bruna Ávila, Elvis, Jonas e Bruna (autora)



32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page