top of page
  • Foto do escritorJonas Silva

Parque Nacional de Itatiaia

História do Parque Nacional de Itatiaia

O Parque Nacional de Itatiaia (PNI) foi o primeiro parque nacional brasileiro. Fundado em 1937, seu principal entusiasta foi o engenheiro André Rebouças, que hoje é homenageado com o abrigo de montanha com o nome Rebouças. Outro importante agente da consolidação do PNI foi José Franklin Massena responsável pelas medições do Agulhas Negras e hoje homenageado no Abrigo Massena.

Já Getúlio Vargas foi o governante criador do parque apoiado pelos estudos do naturalista Loefgreen. Além de uma área de conservação o parque tinha a finalidade de ser um local de refúgio em situações de tensão militar. Foi também Vargas que idealizou uma estrada ligando a parte alta à parte baixa.

Apesar de nunca ter sido terminada a Estrada das Flores foi construída e partes de suas ruínas podem ser contempladas ainda hoje na trilha que recebe o nome de Ruy Braga, e só pode ser percorrida por caminhantes ou ciclistas de montanha.

O PNI também tem uma relação estreita com a história do montanhismo brasileiro. Ele serviu de escola para os principais alpinistas brasileiros, dos quais muitos chegaram ao ápice do alpinismo ao conquistar o cume do Everest.

Hotel de montanha localizado dentro do Parque Nacional de Itatiaia no estado do Rio de Janeiro, Brasil
Hotel Simon, Parque Nacional de Itatiaia

Na parte baixa do Parque Nacional de Itatiaia o Hotel Simon, um monumental edifício em concreto, hoje em ruínas, foi criado a partir de 1932 por alemão Josef Simon. De início era um sítio até que passou a receber hóspedes, vindo a se consolidar como hotel. O proprietário também foi destacado botânico acumulando, na época dourada, um orquidário com mais de 1200 espécies. De 4 quartos o empreendimento chegou a incríveis 60 vagas. Segundo moradores do entorno, o hotel foi desapropriado a quase 20 anos, depois que apresentou problemas financeiros. Segundo os mesmos moradores houve tentativa por outro investidor de adquirir o edifício, sem sucesso depois de saber das complicações da regularização do prédio no PNI.


Características geográficas do Parque Nacional de Itatiaia

O Parque Nacional de Itatiaia está dentro da Serra da Mantiqueira, mais especificamente nos municípios de Itatiaia e Resende no estado do Rio de Janeiro, e Bocaina de Minas e Itamonte no estado de Minas Gerais.

Sua área é dividida em parte alta e parte baixa com altitudes que variam de 600 m a 2791 m.s.n.. Uma rica bacia hídrica irriga as duas partes, na alta estão as nascentes de 12 bacias geográficas regionais, e na baixa os cursos de água formam regatos de águas cristalinas ideais para banhistas no verão.

Sem dúvida o grande destaque geográfico é o cume da quinta montanha mais alta do Brasil, o Pico das Aguhas Negras com 2791 m.s.n.. Coexistem outras montanhas de menor envergadura, porém, não menos relevantes como é o caso da Pedra do Altar, um grande “monolito” que se alça sobre o vale, ou o Pico das Prateleira com suas rochas geométricas enormes, caprichosamente encaixadas.


Fauna e flora do Parque Nacional de Itatiaia

Dentro dos limites do PNI podemos “classificar”, grosseiramente, a flora em dois estratos.

Até os 1500 m.s.n. a Mata Atlântica é predominante, ainda que boa parte tenha sido replantada numa ação coletiva da sociedade após grandes devastações para retirada de carvão. Observam-se grandes árvores de troncos alongados, cobertos de musgos, e copas frondosas. Também é muito comum aglomerados de cipós que se entrelaçam entre as diferentes espécies de árvores.

Na parte alta do Parque Nacional de Itatiaia, acima dos 1600 m.s.n., predominam os campos de altitude, marcados por vegetação mais baixa, principalmente de capins e gramíneas. As dispersas árvores possuem troncos retorcidos e folhas miúdas, adaptados para resistir aos ventos e captar a água das neblinas bastantes comuns entre a primavera e o outono.

A fauna por sua vez é bastante diversa, uma característica da Mata Atlântica que, com diferentes estratos fornece alimento para muitas espécies. Na parte baixa é possível encontrar mamíferos como a jaguatirica, cateto, tamanduá mirim etc., aves características como a araponga, tangará dançarino, tietinga etc. Já na parte alta o mamífero que chama atenção é o lobo guará, e dentre as aves o gavião-real. Mas é uma outra espécie que é a joia da coroa, o símbolo do parque, um anfíbio: o sapo flamenguinho.


Trilhas do Parque Nacional de Itatiaia

O Parque Nacional de Itatiaia possui várias trilhas que atendem oas diversos públicos visitantes.


Trilhas da parte baixa do Parque Nacional de Itatiaia

Cachoeira dentro da Mata Atlântica Brasileira, Cachoeira Itaporani, Parque Nacional de Itatiaia
Cachoeira Itaporani, Parque Nacional de Itatiaia

Além dos caminhos que é possível fazer de veículo dentro da parte baixa do Parque Nacional de Itatiaia outras duas trilhas são muito acessíveis, estão praticamente juntas do local onde o veículo estaciona. São elas, a trilha da cachoeira Itaporani, e da Piscina do Maromba.

Com um pouquinho mais de esforço, 15 min de caminhada para cada trilha e alguns degraus é possível acessar o Poço Azul e a cachoeira Véu de Noiva, ambas as trilhas iniciam em pontos distintos da parte baixa.

Quem desejar se aventurar um pouco mais pode percorrer a trilha dos Três Picos, um difícil percurso de 5 km de ida que leva ao cume do conjunto de montanhas que dão nome a trilha.


Trilhas da parte alta do Parque Nacional de Itatiaia

A parte alta é a mais visitada pelos trilheiros e escaladores, não atoa, lá estão as principais trilhas do Parque Nacional de Itatiaia.

A única trilha da parte alta que pode ser considerada fácil é a trilha da cachoeira das Flores que possui pouco mais de 300 m e alguns degraus. Todas as demais, para serem completadas exigem algum esforço físico, inclusive algumas exigem técnicas e equipamentos de escalada.

Travessia Prateleiras, Parque Nacional do Itatiaia. Mulher jovem fazendo rapel na montanha.
Travessia Prateleiras, Parque Nacional do Itatiaia

Começamos pela principal, a trilha clássica do Pico das Agulhas Negras. Com pouco mais de 2 km de extensão a trilha leva ao cume da quinta montanha mais alta do país. Como era de se esperar ela exige preparo físico e conhecimento de técnicas básicas de escalada, além do emprego de equipamentos específicos. Outra trilha com características similares é a que leva ao cume do Pico das Prateleiras, sendo considerada mais difícil tecnicamente que a primeira.

A trilha do Morro do Couto e da Pedra do Altar são equivalentes, ambas exigem bastante preparo físico, mas não exigem grande capacidade técnica. A segunda é melhor estruturada que a primeira.

A trilha da Asa de Hermes não exige tanto fisicamente quanto a Prateleiras e Agulhas Negras, contudo exige muita destreza e capacidade de navegação pois a maior parte de seu percurso está em meio a rochas gigantes que formam labirintos.

As três trilhas mais longas exigem muito esforço físico e preparo psicológico, uma vez que, duram longas horas, têm grande ganho de elevação e exposição a intempéries constante. Estamos falando do Circuito Cinco Lagos, Trilha da Pedra do Sino passando pela Cachoeira do Aiuruoca e do Circuito Couto Base Prateleiras. As três são equivalentes na beleza e possibilitam as mais belas vistas do Parque Nacional de Itatiaia.


Travessias do Parque Nacional de Itatiaia

São três travessias de treeking possíveis de serem realizadas dentro da área do Parque Nacional de Itatiaia.

A Travessia Ruy Braga começa na parte baixa junto da cachoeira e poço do Maromba, onde há uma base de controle do PNI. A partir dali a trilha sobe até o acampamento Rebouças na parte alta. Durante o trekking percorrem-se pontes construídas à décadas como parte do projeto de construção da estrada das flores. A travessia pode ser dividida em dois dias, com um pernoite no Abrigo Massena, hoje em ruínas. Ao longo da trilha vemos o Vale as Flores, partes da Serra Fina e outras montanhas do parque. A Ruy Braga também pode ser realizada no sentido contrário, descendo. Esse sentido é mais comum devido ser somente descida.

A Travessia do Rancho Caído é uma das mais belas do Brasil. Saindo do Abrigo Rebouças ela percorre o Vale do Aiuruoca e o Vale do Rio Preto, nesse último é possível avistar o lado “oculto” do Agulhas Negras. A imponência da montanha fica muito mais evidente desse lado. São dois dias de caminhada por trilha bem definida e praticamente descida. O acampamento acontece no Rancho Caído, um antigo ponto de parada de tropas que cruzavam a cadeia montanhosa em tempos passados. No final da travessia está o Vale do Maromba em Mauá, região turística devido a sua grande produção de trutas.

Por fim a Travessia da Serra Negra que, também leva para fora do Parque Nacional de Itatiaia numa caminhada de dois dias. Partindo do Abrigo Rebouças, cruza o Vale do Aiuruoca e depois segue na direção da Serra Negra nos limites do Parque. O pernoite é realizado fora das dependências do PNI, na comunidade limítrofe.


Vídeos das trilhas do Parque Nacional de Itatiaia

Você pode acompanhar nossa passagem e conhecer um pouco mais do Parque Nacional de Itatiaia na playlist do canal no Youtube:


Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page